Hub

Guia rápido da agricultura digital

Imagem: Guia rápido da agricultura digital

Saiba como a tecnologia está mudando o trabalho rural e quais são os desafios e tendências da agricultura digital no mundo

Ao longo dos séculos, a agricultura brasileira passou por diferentes fases. Primeiro, era exclusivamente manual: a única alternativa era usar instrumentos rudimentares, como enxadas, para prover a terra. Depois, quando a demanda mundial por alimentos começou a crescer, os produtores viram a chegada das máquinas para facilitar o manejo e intensificar a produção da lavoura. Agora, a atividade rural entra em uma nova fase, a mais revolucionária de todas até então: a agricultura digital.

A agricultura digital está transformando a maneira como se executa o trabalho rural no mundo. O surgimento de tecnologias voltadas para o produtor serve como uma importante ferramenta de apoio para levar mais eficiência às etapas produtivas da lavoura, agregando valor a todo esse processo.

No Brasil, isso é ainda mais evidente. Afinal, a agricultura é um dos setores mais importantes para o PIB da economia. O país ocupa as primeiras posições no ranking dos maiores produtores e exportadores de cana de açúcar, café, soja, fumo, carne e milho do planeta. A agricultura digital, portanto, vem para trazer um novo patamar de produtividade a toda essa produção.

Esses benefícios da jornada digital, no entanto, não se limitam apenas ao território brasileiro. O aumento recorrente da população, que leva a uma maior demanda e necessidade de alimentos, é uma tendência mundial que já vem sendo alertada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). O órgão, por exemplo, já chegou a alertar que, em 2050, o mundo terá mais de 9 bilhões de habitantes e que, para isso, será necessário produzir até 70% a mais de grãos, frutas, verduras e cereais em relação aos volumes de hoje.

Por tudo isso, o uso de ferramentas digitais no campo se torna cada vez mais imprescindível para aumentar essa produção e garantir a subsistência que o mundo precisa.

Neste artigo conheceremos um pouco mais sobre a importância e os desafios da agricultura digital.

O que é agricultura digital e por que ela é importante?

A agricultura digital, também chamada de agricultura 4.0, nada mais é do que o uso da tecnologia como aliado da produção agrícola. Essa tecnologia passa a ser usada como ferramenta de apoio em todas as fases da cadeia, do plantio até a colheita. Quando isso acontece, o produtor consegue aumentar sua lucratividade ao mesmo tempo em que reduz seus investimentos, sem a necessidade de aumentar a área de cultivo.

Por meio de ferramentas como sensoriamento remoto, inteligência artificial, machine learning, big data e outros, o agricultor pode mapear a lavoura, monitorar e conduzir a propriedade, fazer pesquisas de preço de insumos, vender a produção e, até mesmo, prever riscos climáticos.

Para a atividade rural, isso representa ainda uma grande quebra de paradigma. Afinal, otimiza-se as atividades do campo em todas as suas vertentes para que se possa produzir mais por hectare. O resultado é um aumento da produção e da produtividade, redução das perdas na lavoura e diminuição dos custos operacionais.

Uma das primeiras experiências brasileiras com a jornada digital é a agricultura de precisão, que utiliza dados georreferenciados, como mapas, imagens de satélite, fotografias e sensores para acompanhar a lavoura mais de perto. Com isso, o produtor rural passa a traçar estratégias com base nas particularidades de cada ponto da lavoura, e não mais no seu todo.

A agricultura digital na cadeia produtiva

A agricultura digital consegue promover a melhoria contínua em todas as etapas da cadeia produtiva do setor até chegar ao consumidor final. Veja alguns exemplos a seguir.

Fornecimento de insumos

Para quem atua com fornecimento de insumos, a tecnologia pode trazer muitas oportunidades interessantes, inclusive relacionadas à criação de novos modelos de negócio, como o desenvolvimento de novos fertilizantes e de novos inoculantes.

Produção

Quando a agricultura digital chega ao campo, o produtor pode ampliar seu olhar para a atividade rural e inovar não só na maneira de executar o seu trabalho de todo dia na lavoura, como também na construção de novas maneiras de plantar e comercializar essa produção.

Distribuição

A distribuição também pode ser otimizada com soluções de agricultura digital, principalmente no que diz respeito ao rastreamento de cada uma das etapas da cadeia produtiva. 

Consumo

O próprio consumo também poderá ser impactado positivamente pela agricultura digital — em especial, quando se propõe a levar informação e garantir a transparência necessária entre o produtor (rural) e consumidor (urbano).

Desafios e como contorná-los

Apesar de todos os benefícios, a agricultura digital ainda tem um longo caminho a percorrer para que possa, de fato, oferecer toda a capacidade a que se propõe. É necessário, primeiro, transpor, algumas barreiras que ainda desestimulam sua adoção pelos agricultores.

Cobertura de sinal de internet no campo

Para que possa se adequar às ferramentas da agricultura digital, o produtor rural precisa ter, minimamente, um acesso à cobertura de sinal de internet. É o básico para que ele possa dar o próximo passo. Porém, isso não é uma realidade na maioria das propriedades rurais brasileiras — principalmente, as de médio e pequeno porte —, aonde o sinal não chega. Trata-se, aliás, de um dos maiores entraves hoje para o desenvolvimento da agricultura digital no país.

Falta de informação

A agricultura digital é para todos. No entanto, ainda há muita falta de informação e conhecimento a respeito da importância dos avanços tecnológicos e como eles podem contribuir com a lavoura. Inverter esse jogo é um desafio, que pode ser superado com capacitação: o produtor rural precisa entender o quanto o seu trabalho no campo pode mudar de patamar quando a tecnologia vira uma aliada. 

Capacidade de investimento

A capacidade de investimento do produtor rural — principalmente, o pequeno e médio — também pode ser vista como uma barreira para a agricultura digital. O agricultor, afinal, possui uma série de despesas fixas que precisa honrar para que consiga organizar os recursos e planejar a próxima safra. E, justamente por isso, o investimento em tecnologia nem sempre entra na conta — inclusive, passa a ser vista como uma despesa desnecessária.

Para superar esse desafio, a resposta pode estar nas cooperativas e associações de produtores. Com esses grupos, que costumam reunir diversos agricultores de uma determinada região, seria possível investir coletivamente em uma determinada solução como forma de buscar economia e apresentar os benefícios da tecnologia para os pequenos produtores — servindo, assim, como porta de entrada de muitas lavouras no ambiente tecnológico.

Tendências da agricultura digital

A tecnologia é irreversível para todos os setores da economia — e isso inclui o ambiente rural. Alguns especialistas chegam a prever que, em breve, a agricultura será quase toda influenciada pela tecnologia. Essa aproximação do campo com a inovação, aliás, deve mudar para sempre a relação do homem com a terra: a longo prazo, espera-se uma agricultura controlada por sistemas inteligentes e, portanto, muito mais autônoma.

Neste cenário, a intervenção humana será mínima e, ao produtor rural, caberá mais o papel de gestor do que de executor propriamente dito, como acontece hoje. E a agricultura digital terá muita interferência e participação nesse processo de mudança.

Compartilhe essa notícia:
Autor(es) do Post